quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Médium de Passagem


Escrito por XAMÃ:



Recentemente pesquisei na internet sobre o termo "médium de passagem" e para minha tristeza, encontrei apenas referências esparsas e algumas citações em textos sobre espiritualidade, mas nada falando diretamente sobre o assunto. Humildemente me proponho a elucidar o que vem a ser um médium de passagem, relatando aqui minha experiência pessoal e fazendo uma breve avaliação do tema em suas diversas facetas.
Primeiramente, devemos compreender o significado da mediunidade, para então tratarmos sobre a passagem:
Médium vem do latim, medium (médio, meio), um termo bem correto, pois a pessoa dotada de mediunidade age em meio a dois planos: o físico e o espiritual.
Os médiuns tratam diretamente da comunicação com os espíritos, as vias mais comuns se dão por contato visual (clarividência), auditivo (audiência), ou ambos (clariaudiência); Maneiras mais "discretas" também denotam mediunidade, tais como sentir cheiros ou simplesmente ter sensações (a famosa intuição). Sonhar também pode ser associado à mediunidade, pois através dos sonhos temos contato com outros seres e com os desencarnados, além de termos visões do futuro, seja por meio de simbologia ou a cena de fato. Há outras formas bem conhecidas da mediunidade, como a incorporação (aonde age o médium de passagem), e a psicografia (amplamente difundida e conhecida após o fenômeno Chico Xavier).
Métodos de adivinhação tais como runas, cartas, búzios etc envolvem espiritualidade (até para acreditar no que a sorte está dizendo), mas ser médium não é algo necessariamente obrigatório. A capacidade intelectual de entender corretamente a posição e o significado das cartas e búzios pode ser sim, melhor do que a interpretação de um médium nato sem inclinação para a leitura da sorte.
Que fique bem claro:
TODO ser humano possui espiritualidade com diferentes níveis de mediunidade, o que difere o médium de fato para uma pessoa comum é o seu grau de sensibilidade com o espiritual.
Há pessoas que vêem espíritos com tanta clareza que podem correr o risco de as confundirem com os vivos, enquanto as pessoas "comuns" não percebem a presença de um morto nem que ele esteja na sua frente gritando! Explicações à parte, vamos ao foco do meu texto: o médium de passagem. Falando a grosso modo, médium de passagem é a pessoa que cede seu corpo para um espírito, (em sessões religiosas pode ser vários, um vindo após o outro). Trata-se de uma possessão consentida, aonde o médium permite que o espírito adentre no mundo físico agindo pelo seu corpo como um ser encarnado. O próprio termo "reencarnação" consiste nisso re-in-carno (latim também, "retorno a carne"), conforme brilhantemente explicou um dos maiores especialistas em TVP do Brasil, Dr. Livio Tulio Pincherle em seu livro "Terapia de Vidas Passadas".
Incorporação e Possessão

Embora sejam parecidas, existe uma diferença enorme: a incorporação envolve concentração, um alinhamento com o espírito ao qual está aguardando a entrada no mundo físico pelo corpo do médium, já o ato puro de ocupar um corpo, muitas vezes à força, sem consentimento da pessoa (ou melhor, vítima), isso se chama POSSESSÃO, um problema que acomete muitos médiuns de passagem que não tem/tiveram tratamento espiritual adequado, e geralmente são taxados de loucos, esquizofrênicos etc.
Clique aqui para ver o Post: Entre a Loucura e a Mediunidade.
Dar passagem não é apenas permitir que outro espírito ocupe e controle seu corpo, é muito mais profundo do que isso, é ceder a um desencarnado a passagem ao mundo físico sem necessidade de reencarnar, e, permitir assim que o desencarnado pratique a CARIDADE, e utilize a mediunidade do vivo para se fazer presente no mundo material. O espírito através do médium realiza curas, passes ou simplesmente conversa com outro encarnado, dando conselhos e ajudando as pessoas. Pode ser que seja apenas por uma, poucas ou várias vezes, mas o ato de dar passagem deve ser muito bem encaminhado e estudado, deve haver DISCIPLINA por parte do médium, pois os médiuns de passagem trabalham com uma linha de entidades das quais se harmonizam de acordo com sua vibração e este elo é, muitas vezes, pela vida toda.
Há casos em que um guia pode aparecer e PEDIR passagem, como por exemplo “Tio André”, guia espiritual de José Henrique, filho desencarnado de Mulher Gavião que desejava falar com ela mas precisava de um encarnado para poderem conversar melhor.
O médium de passagem e a Umbanda
Em centros de umbanda os médiuns de passagem são essenciais, pois as entidades dessa linha agem através dos seus corpos, se comunicando, dando passes e conselhos aos encarnados.
As entidades costumam chamar (e não chamam por ofensa ou desprezo, é apenas modo de falar) os médiuns de “cavalo”, “burro” ou “aparelho”. E em cada médium age um grupo específico de entidades. Na umbanda “dar Passagem” é o ato do guia deixar o médium para que outra entidade nele se incorpore.
Eu por exemplo sou da “linha da mata”, e por herança paterna tenho a linha da esquerda da Umbanda, então apenas determinadas entidades trabalham comigo, elas se harmonizam com a minha energia e juntos trabalhamos pelo bem, pela caridade.
Ser um Médium de passagem
Eu acredito que seja uma sensação diferente para cada um, logo talvez o modo como eu esteja descrevendo aqui não seja do mesmo modo como outro médium de passagem se sinta, mas vou tentar explicar como EU me sinto dando exemplos da forma mais simples possível:
No ínicio era necessário muito mais concentração como tudo que é novo, pois ainda é algo inexplorado, desconhecido e com o tempo não digo que vai se tornando mais fácil, mas sim mais familiar.
Digamos que é como escutar uma música e "adentrar" nela. Imagine uma música que você gosta, a qual você gosta tanto que ao escutá-la você se desliga do mundo, te traz uma lembrança, e você se perde na música, está tão envolto nela que esquece de tudo a sua volta, se concentra tanto que deixa o som levar você. Talvez seja um concerto de rock aonde você faz parte da banda e toca com todas suas forças ou um fã enlouquecido na platéia. O fato é que você não está mais na sua casa, mas em um show de rock! Você não é mais você mesmo, é o vocalista famoso gritando a plenos pulmões para uma platéia ensandecida! Seu corpo e mente foram levados para longe por vontade própria, mesmo sendo de forma inconsciente.
Posso dizer que é assim, quando é em um centro de umbanda você se concentra no cântico, então é como se mais alguém que nós não vemos dança conosco, o espírito relaxa, e aos poucos vem uma vontade de fechar os olhos e se entregar a música por completo, então por fim você dorme, mas é diferente do sono, não sinto sono, sinto uma energia poderosa me envolvendo, deixo ela me consumir até fazer parte dela então perco a consciência então o que se passa depois eu honestamente não lembro, já houve casos em que sonhei com algo que aconteceu enquanto estava inconsciente, como se fosse um espectador, mas sempre dias, semanas ou meses depois mas via de regra eu não lembro mesmo, nem sinto os efeitos das preferências das entidades; mesmo que algumas bebam ou fumem eu acordo plenamente sóbrio e sem vontade de fumar (até porque não sou fumante), no máximo fico apenas um pouco enjoado do cheiro de cigarro.
Pode-se dar passagem sem necessidade de música? Claro, na verdade a posessão se dá muitas vezes sem música mas em lugares impróprios e contra a vontade do médium como já falei acima, mas há sim, meios de ceder passagem a um espírito fora de centros e sessões.
Relatando como acontece comigo, digo que é como sentir uma vibração, como se meu corpo se multiplica-se, minhas mãos se "soltam" de mim e aos poucos vem vibrando de volta até se encaixarem em mim novamente, como se vestisse uma luva, e quanto mais essa "roupa" se ajusta ao meu corpo mais eu perco a consciência até eu "sair do ar" de uma vez. São maneiras diferentes de explicar o mesmo acontecimento.
Dar passagem ou não?
Erradamente atribuem o fato de não dar passagem a uma ou mais entidades o atraso na vida das pessoas. Talvez a colocação de um pai de santo ou médium em geral não seja bem explicada.
JAMAIS seres de índole boa vão causar algum tipo de infortúnio para uma pessoa que não deu passagem a eles, mas então muitos podem questionar o porquê de sua vida ter ficado tão melhor depois de dar passagem ou se estavam atrapalhando seus caminhos, negócios, sua vida enfim, só para serem "forçados" a dar passagem.
Meu caro colega médium de passagem: Eu digo que não é nada disso, acontece que se você não der passagem, os espíritos que deveriam estar ao seu lado, aconselhando, auxiliando e PROTEGENDO, não estarão próximos, então simplesmente se algo ruim acontecer eles não podem intervir, pois não estão ao seu lado. Foi escolha SUA estar longe deles, logo não reclame por eles não estarem por perto lhe ajudando. Muitos reclamam dizendo que isso é chantagem algo como "me dê passagem ou não te dou nada". Não é assim, não funciona assim.
IMPORTANTE:Se você for médium de passagem mas não quer dar passagem (ou quer parar de fazer isso) então faça uma oferenda e os demais trabalhos necessários para que possa de forma educada dizer as entidades que você simplesmente não quer isso para sua vida. São espíritos evoluídos, vão entender e respeitar sua opinião.
A recompensa
Dar passagem NÃO VAI torná-lo rico, não vai lhe dar superpoderes, nem nada demais, como brinco quando alguém me pergunta como é dar passagem:
"Não sei, eu estou dormindo, basicamente eu apago."
O mesmo vai ser para os demais, basicamente você vai apagar colega!
O ato em si eu tentei descrever acima, e eu estou sendo honesto, além de perder a consciência nada muito além disso acontece.
O que vem DEPOIS é um entendimento maior da vida, sonhos e visões que mostram coisas lindas, ou explicam muitos dos “porquês” da vida, ou um presente de uma entidade contando um pouco dela mesma, não para se vangloriar mas como um bom amigo que resolve abrir um pouco de sua intimidade (pois agora você faz parte desses amigos), uma relativa estabilidade emocional e econômica (repito: dificilmente você ficará rico ), uma sensação de dever cumprido, e até um conforto maior ante situações tristes como a perda de um ente querido.
É doloroso nos afastarmos de quem amamos, mas é reconfortante um amigo do espiritual “abraçá-lo” e gentilmente se comprometer a ajudar no processo de adaptação dos recém desencarnados.
Além, disso é muito gratificante um estranho agradecer pela ajuda, é muito gratificante poder ajudar o próximo, poder ajudar um espírito bom que seja mais bondoso ainda, e é muito bom o sincero "obrigado".
De nada meu irmão, e não precisa agradecer, literalmente sou só o instrumento.
 

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Exu Mirim

Falar de Exu Mirim é falar de uma falange de espíritos que, apesar de inseridos como trabalhadores da Corrente Astral de Umbanda, ao longo dos anos, foram colocados do lado de fora dos Terreiros por puro preconceito, nascido da falta de conhecimento e da intolerância com "O Diferente".Toda discriminação é fruto da falta de competência para lidar com situações que fogem ao "senso comum". É mais fácil omitir, esconder, ignorar,desprezar do que aceitar, educar, doutrinar. Para isso, seria precisa um mínimo de esforço para aceitar "O outro" em sua essência e buscar um relacionamento saudável. Muitos umbandistas(infelizmente a maioria), por não conhecerem e não terem coragem de enfrentar desafios, ignoram solenemente esses "meninos rebeldes" da esquerda:Os Exus Mirins.

Exu Mirim é uma falange de espíritos "infantilizados" que trabalham na linha dos Exus. São as "Crianças da Esquerda".Militam ao lado dos Guardiões .Estão para estes do mesmo modo que as "Crianças da Direita"(Ibejis) estão para Caboclos e Pretos Velhos. São grandes trabalhadores do astral e por terem a roupagem fluídica e o mental de crianças apresentam características da personalidade infantil ainda em processo de lapidação: curiosidade, falta de limites,rebeldia,extrema sinceridade e intolerância. Imaginem que os Ibejis sejam aquelas crianças que todos queriam como filhos:dóceis, amorosas,inocentes. Os Mirins seriam os filhos rebeldes,questionadores e difíceis de conviver . Aquelas crianças que escondemos das visitas. São os trabalhadores de Umbanda que muitos terreiros escondem ou deixam do lado de fora por não saberem como lidar com eles. Mas Exu, que é sábio e conhece a fundo os Mirins, sabe que o trabalho desses "Exuzinhos " é imprescindível na corrente astral de Umbanda. Por isso acolheu esses espíritos em sua linha, e trabalha lado a lado com esses grandes "Pequenos Guardiões". Exu Mirim é a criança que precisamos doutrinar e amar. Cabe ao médium conhecer e saber trabalhar com essa vibratória, doutrinando e nunca permitindo se influenciar pelo mental poderoso dos Mirins. O Médium deve agir como um tutor que precisa ser muitas vezes rígido e nunca se desequilibrar mentalmente quando estiver trabalhando com esses espíritos. Muitas das façanhas de Exu Mirim se devem ao comportamento do médium . Do mesmo modo que muitos discriminam e julgam os Exus, por desconhecerem que os excessos cometidos por essas entidades partem muito mais do médium do que propriamente desses guias tão responsáveis e conhecedores do seu papel no astral. Os Exus Mirins foram vítimas da falta de conhecimento dos terreiros. Por isso foram julgados,sem direito a defesa, e condenados ao exílio.

Os Mirins são grandes trabalhadores do astral. Possuem grande conhecimento de magia e manipulam com maestria os elementais. São freqüentemente enviados,pelos Exus, aos submundos do astral como espiões. Sua sagacidade, rapidez e coragem fazem com que possam se infiltrar nas zonas inferiores sem serem percebidos. Quando enviados em missão desagregam e neutralizam trabalhos de baixa magia com a mesma facilidade que plasmam campos de força para a proteção de terreiros ou outros lugares sob a proteção dos Exus. Como quase não trabalham atuando em um médium ,quando chegam nos terreiros demonstram certos hábitos adquiridos no astral, como esconder ou camuflar o rosto. Costume adquirido por frequentemente estarem infiltrados entre os espíritos da baixa espiritualidade. Por raramente estarem interagindo com médiuns , quando estão entre os encarnados se mostram ariscos e desconfiados. No entanto, quando respeitados e bem acolhidos demonstram fidelidade e até mesmo uma certa afabilidade.

Os Exus Mirins obedecem a mesma hierarquia que os outros Exus. Não podemos esquecer que apesar de espíritos infantilizados, não deixam de ser EXUS. Trazem no ponto riscado: Os símbolos mágicos condizentes com a linha que trabalham. Os sinais cabalísticos identificam a falange a qual pertencem, o guardião a quem obedecem e o Orixá a quem estão ligados por afinidade .Recebem o "Nome de Guerra" de acordo com sua falange ou com o elemento natural que representam. Assim temos Exus Mirins do fogo, da terra, da água e do ar, se apresentando com os nomes de Labareda, Foguinho,Faísca,Fagulha, Brasinha, Caveirinha,Calunguinha, Pó de Terra, Toco de osso, Toquinho,Tiquinho,Ondinha,Malandrinho, Maria Caveirinha, Mariazinha da Calunga, Corisco, Barinha, Fumaça,Trovoada e tantos outros nomes que se apresentam nos terreiro.

As crianças da esquerda existem. Isso é um fato incontestável. São elas os incompreendidos e desprezados Exus Mirins. Os espíritos da corrente de Umbanda que foram rotulados e assumiram o arquétipo de "meninos maus". Os degredados dos terreiros, isolados,condenados ao abandono,amaldiçoados. Crianças rebeldes que fumam, bebem e atazanam a vida de quem os contrariam. Crianças de quem ninguém assume a paternidade.

Já é tempo de consertarmos essa grande injustiça. A Umbanda,mãe amorosa que acolhe a todos sem distinção, amparando e guiando um número infinito de espíritos encarnados e desencarnados, não pode abandonar os Mirins a sua própria sorte, condenando ao exílio uma de suas linhas de trabalho mais aguerridas no combate a baixa espiritualidade. Mirim é o olho que tudo vê, depurando e auxiliando os espíritos necessitados. São os "pupilos" de Exu, que os amparou dando-lhes um campo de ação na Lei de Umbanda. Os Mirins vêm resistindo bravamente ao preconceito e descaso com que são tratados, mas não deixam de cumprir o seu papel de "Pequenos Soldados da Lei". Vencendo demanda para filho de fé. Até por aqueles que olham com desprezo e desconfiança os pequeninos Exus trabalhando no terreiro. Para esses, Mirim deixa um recado: "Sou a escuridão da luz e a luz da escuridão. Sou o reflexo da tua alma. Fogo,terra,água e ar. Magia de redenção e perdição. Sou ambíguo. Exu. O menor de todos. Pequenino em minha grandeza. Apenas MIRIM!

LAROIÊ MIRIM!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

XANGÔ – SÃO JERÔNIMO

Sincretizado a São Jerônimo, Xangô é o Orixá da sabedoria e da justiça, sua cor é o marrom.
São Jerônimo nasceu na cidade de Estrido, Dalmacia, nas atuais fronteiras da Iugoslávia, por volta do ano 340 e ele foi um dos grandes escritores de seu tempo. Tornou-se monge e partiu para o Oriente, fixou-se na Síria entregando-se a uma vida de penitências e orações. Regressando a Roma, foi feito secretário do papa São Damaso que lhe deu a missão de traduzir as Sagradas Escrituras para o latim, obra que ficou conhecida como Vulgata dando origem a Biblia atual.
thumb_xangoXangô é o responsável pela solução das pendências e das injustiças, dando a quem merece o devido castigo e, a vitória ao injustiçado.
Xangô simboliza a lei de causa e efeito, seu fetiche é a machada de dois gumes ou a balança de dois pratos, simbolizando a justiça e a imparcialidade.
Recorrem a Xangô todos os injustiçados, perseguidos espiritual e materialmente.
Os domínios de Xangô são as pedreiras e as cachoeiras, de Xangô emanam forças poderosíssimas, é a Ele que recorremos quando necessitamos de ajuda nos processos que demandem muita energia, nas demandas espirituais, nos processos judiciais, enfim, todos os assuntos ligados à lei e a justiça.
Nossos irmãos africanos nos ensinaram que Xangô é o Orixá atuante simbolicamente sobre as tempestades e tudo que dela provenha como raios, chuva com trovoadas, etc.
Xangô como todos os Orixás jamais desampara aqueles que a Ele recorrem.
De Xangô emanam a autoridade, a justiça e o saber. Ele jamais erra e não permite o erro de seus filhos. É o protetor dos bons juizes, dos bons advogados e de todos aqueles que tenham contato com as práticas das leis.
Nas demandas espirituais após Ogum ou os outros Orixás envolvidos nessas demandas terem feito o seu trabalho, Xangô virá obrigatoriamente cumprir a lei de Deus de causa e efeito.
A vibração de Xangô, nas evocações que ocorrem nos templos de Umbanda, é fortíssima. Quando incorporado em nossos médiuns transmite sempre a imagem de alguém forte como a rocha, todos pressentem sua tremenda força.
thumb_saojeronimoEm muitos pontos cantados de Xangô, ouve-se a frase; “

Não brinque com Xangô, porque Xangô não brinca não”.

Essa frase transmite claramente sua autoridade e intolerância com os erros dos homens.
Xangô está sempre associado à força, Ele é autoritário, capaz de despertar o respeito por suas determinações e leis, com poder para decidir sobre o bem e o mal.
As suas determinações serão sempre obedecidas por todos, gostem ou não. Por estar associado à firmeza da rocha e à estabilidade que as pedreiras transmitem, que são os seus domínios, delas emana a sua força.
Em suas obrigações podem ser usadas flores brancas, velas de cor marrom ou brancas, cerveja preta e água da cachoeira. Nesse sentido, é comum ver as obrigações que lhe são feitas nas pedreiras e cachoeiras, sendo que em muitos casos depositam lá uma verdadeira parafernália de objetos e comidas como o quiabo com feijão fradinho e outras coisas mais, como o vinho e licores diversos.
Não há necessidade de pedir a Xangô a justiça, Ele a fará sempre mesmo que você não peça ajuda a Ele. Na realidade evite pedir justiça, se você pedir a justiça, tenha certeza que Ele atenderá o seu pedido, mas como qualquer ser humano você tem em seu passado alguma coisa da qual se envergonha e Xangô também vai ver os seus erros e lhe dará também, ao mesmo tempo, o seu pagamento por suas obras.
Você se sente injustiçado? Então aguarde, Xangô fará a justiça por você, sem que exista a necessidade de pedir coisa alguma a Ele; mas se pedir, prepare-se, você também receberá o seu pagamento.
Se o assunto é ligado a lei e aos seus processos e você possui a verdade ao seu lado, pode recorrer a Ele com toda a garantia de vitória, mas só proceda desta forma se tiver à verdade ao seu lado, porque se você é o errado na questão, tenha certeza que Ele vai puni-lo.
A justiça de Xangô é baseada em leis Divinas, leis que tem origem Divina e não podem ser manipulado pelos homens, seja sábio.
  • Cor ....................... Marrom
  • Domínios ................ Pedreiras e cachoeiras
  • Atuação ................. A justiça
  • Saudação ............... Kaô cabecile
  • Elemento ............... Terra

Dia 27 de Setembro - Dia das Crianças na Umbanda - Dia de São Cosme e São Damião



São Cosme e Damião

“Honra o médico por causa da necessidade, pois foi o altíssimo quem o criou. Toda medicina provém de Deus..., a ciência do médico o eleva em honra.”
(Eclo 38, 1-3)
Pelo ano 303 na cidade de Egéia, na Arábia, nasceram os gêmeos Cosme e Damião, filhos de nobres árabes; Dona Teodata, mulher piedosa e de grandes virtudes, transmite aos filhos os vivos sentimentos de fé, esperança e caridade.
O nome Cosme vem de “Cosmos” – no grego: Puro, e Damião – “Damianus”: “Mão do Senhor” segundo a tradição. Nossos gêmeos foram educados e instruídos pelos grandes mestres da Síria e lá especializaram-se nas ciências e na medicina.
Os ensinamentos cristãos de sua Mãe, aliados a arte de curar e de aliviar os sofrimentos alheios, fizeram de nossos jovens médicos, um testemunho de amor e dedicação aos irmãos.
Os gêmeos médicos eram muito requisitados pelos pagãos, que neles encontravam um sopro de esperança e um alento nos sofrimentos.
Cosme e Damião não perdiam a oportunidade de falar de Jesus Cristo, o Médico dos Médicos, e de seu evangelho, assim aliavam a cura do corpo e da alma.
A admiração dos pagãos crescia ainda mais, vendo que os médicos Cristãos, não aceitavam a mínima gratificação, eram outras as riquezas que atraiam: “Almas para Deus.”
Incontáveis conversões foram testemunhadas, graças ao empenho e a dedicação de Cosme e Damião. As curas aconteciam de várias formas sendo até mesmo de formas extraordinárias, era o poder de Jesus sendo manifestado através de seus servos fiéis.
Durante muitos anos viveram os médicos como missionários na Cilícia. O empenho e a fama dos dois chamaram a atenção de autoridades, e uma das primeiras medidas do governador Lígias, quando chegou a a Cilícia, foi ordenar a prisão dos gêmeos, que lhe foram indicados como inimigos das divindades pagãs.
O então governador Lígias dizia cumprir ordens do imperador Diocleciano que nutria um ódio mortal contra os Cristãos.
Citados perante o tribunal de Lígías, este os interpelou sobre o exercício da profissão e sobre algumas denúncias maldosas de prática de feitiçaria.
Cosme e Damião estavam sendo acusados de exercer a medicina gratuitamente, e isto, estava causando incômodo a alguns mercenários da medicina.
Responderam as acusações dizendo:
-Curamos as doenças – mais em nome do Senhor Jesus Cristo, do que pelo valor de nossos conhecimentos e ciência.
Lígias respondeu furioso:
-É preciso que adoreis aos Deuses, sob pena de cruel tortura!
Novamente respoderam eles:
-Teus deuses não tem poder nenhum; nós adoramos o criador do céu e da terra, e nele depositamos nossa confiança.
Nossos gêmeos médicos foram submetidos aos cruéis tormentos para faze-los negar a fé e renegar a Jesus Cristo.
Vendo o governador que nada os fazia mudar de ideia, ordenou que fossem decapitados, e assim martirizados os médicos da gratuidade, os gêmeos da bondade e da caridade.
Os corpos Cosme e Damião, foram carregados por uma centena de amigos, pacientes e admiradores que por eles nutriam grande respeito e veneração
Depois de algum tempo, os restos mortais foram levados para a Síria, numa cidade chamada Cyra, e lá construíram uma Igreja em homenagem aos dois.
Em Constantinopla foi construída outra Igreja em honra aos mártires, por determinação do Imperador Justiniano I, que por eles foi favorecido em grave doença.
Parte das relíquias de nossos santos encontram-se em Roma e parte em Munique, no altar da Igreja de São Miguel.
Nossos Santos foram sempre muito festejados, são padroeiros dos médicos e farmacêuticos. Algumas crendices lhes são atribuidas, porém devemos guardar como exemplo de suas vidas é o zelo pelos que sofrem e o despeendimento dos bens materiais.
Oremos:

São Cosme e São Damião, por amor a Deus e ao próximo, vos dedicastes à cura do corpo e da alma de vossos semelhantes.
Abençoai , pois os médicos e farmacêuticos.
Medicai meu corpo na doença e fortalecei meu espírito contra todos os tipos de supertição.

Amém.
Paz e Bem!
Prece do Serviço aos Necessitados
Deus, nosso Pai, São Cosme e São Damião passaram no mundo fazendo o bem, curando as doenças e aliviando o sofrimento de sua gente, dando confiança e esperança aos corações atribulados. Fizeram de seu ofício de médico um serviço ao próximo.
Fazei, Senhor, que também nós, inspirados no exemplo de vida de São Cosme e São Damião, sirvamos os nossos semelhantes de modo desinteressado, buscando sempre o seu bem e a sua felicidade. 
Fazei que lutemos corajosamente pela humanização de uma medicina que coloque o homem - mente e coração, corpo e espírito - no centro de suas preocupações. 
Que os médicos coloquem em primeiro lugar a vida, o bem de seus pacientes, e não o lucro, a exploração do comércio da morte, visando apenas o dinheiro.
Que, a exemplo de Cristo, que veio para servir e não para ser servido, colaborem para que se efetue o direito do povo de ter saúde e viver plenamente.

sexta-feira, 29 de junho de 2012

SALVE SÃO PEDRO !!!!

Olá irmãos


Que a paz de Oxalá esteja com todos

Pois bem, estamos chegando ao final do mês de junho, o mês do Orixá Xangô e de sua justiça, hoje é dia 29 e é um dia consagrado a São Pedro que se sincretiza com a energia de Xangô, neste caso é cnhecido cmo Xangô Agodoi. São Pedro foi o discípulo de Jesus mais dedicado, pode-se dizer o que mais amava a Cristo, ele foi personagem de várias histórias que Cristo contava. Vejam a baixo a biografia deste grande pregador do Cristianismo.
Segundo a Bíblia, seu nome original não era Pedro, mas Simão. Nos livros dos Atos dos Apóstolos e na Segunda Epístola de Pedro, aparece ainda uma variante do seu nome original, Simeão. Cristo mudou seu nome para כיפא, Kepha, que em aramaico significa "pedra", "rocha", nome este que foi traduzido para o grego como Πέτρος, Petros, através da palavra πέτρα, petra, que também significa "pedra" ou "rocha", e posteriormente passou para o latim como Petrus, também através da palavra petra, de mesmo significado.
A mudança de seu nome por Jesus Cristo, bem como seu significado, ganham importância de acordo com Igreja Católica em Mt 16, 18, quando Jesus diz: "E eu te declaro: tu és Kepha e sobre esta kepha edificarei a minha Igreja e as portas do inferno não prevalecerão nunca contra ela." Jesus comparava comparava Simão à rocha. Pedro foi o fundador, junto com São Paulo, da Igreja de Roma (a Santa Sé), sendo-lhe concedido o título de Príncipe dos Apóstolos e primeiro Papa (um tanto anacronicamente, visto que tal designação só começaria a ser usada cerca de dois séculos mais tarde – Pedro foi o primeiro Bispo de Roma); essa circunstância é importante, pois daí provém a primazia do Papa sobre toda a Igreja Católica.
 
Biografia

Antes de se tornar um dos doze discípulos de Cristo, Simão era pescador. Teria nascido em Betsaida e morava em Cafarnaum. Era filho de um homem chamado João.
Segundo o relato no Evangelho de São Lucas, Pedro teria conhecido Jesus quando este lhe pediu que utilizasse uma das suas barcas, de forma a poder pregar a uma multidão de gente que o queria ouvir. Pedro, que estava a lavar redes com São Tiago e João, seus sócios, concedeu-lhe o lugar na barca que foi afastada um pouco da margem.
No final da pregação, Jesus disse a Simão que fosse pescar de novo com as redes em águas mais profundas. Pedro disse-lhe que tentara em vão pescar durante toda a noite e nada conseguira mas, em atenção ao seu pedido, fá-lo-ia. O resultado foi uma pescaria de tal monta que as redes iam rebentando, sendo necessária a ajuda da barca dos seus dois sócios, que também quase se afundava puxando os peixes. Numa atitude de humildade e espanto Pedro prostou-se perante Jesus e disse para que se afastasse dele, já que é um pecador. Jesus encorajou-o, então, a segui-lo, dizendo que o tornará "pescador de homens".
Nos Evangelhos Sinóticos o nome de Pedro sempre encabeça a lista dos discípulos de Jesus, o que na interpretação da Igreja Católica Romana deixa transparecer um lugar de primazia sobre o Colégio Apostólico. Não se descarta que Pedro, assim como seu irmão André, antes de seguir Jesus, tenha sido discípulo de João Batista.

Outro dado interessante era a estreita amizade entre Pedro e João Evangelista, fato atestado em todos os evangelhos, como por exemplo, na Última Ceia, quando pergunta ao Mestre, através do Discípulo Amado, quem o haveria de trair ou quando ambos encontram o sepulcro de Cristo vazio no Domingo de Páscoa. Fato é que tal amizade perdurou até mesmo após a Ascensão de Jesus, como podemos constatar na cena da cura de um paralítico posto nas portas do Templo de Jerusalém.
Segundo a tradição defendida pela Igreja Católica Romana, o apóstolo Pedro, depois de ter exercido o episcopado em Antioquia, teria se tornado o primeiro Bispo de Roma. Segundo esta tradição, depois de solto da prisão em Jerusalém, o apóstolo teria viajado até Roma e aí permanecido até ser expulso com os judeus e cristãos pelo imperador Cláudio, época em que haveria voltado a Jerusalém para participar da reunião de apóstolos sobre os rituais judeus no chamado Concílio de Jerusalém. A Bíblia atesta que após esta reunião, Pedro ficou em Antioquia (como o seu companheiro de ministério, Paulo, afirma em sua carta aos gálatas. A tradição da Igreja Católica Romana afirma que depois de passar por várias cidades, Pedro haveria sido martirizado em Roma entre 64 e 67 d.C. Desde a Reforma, teólogos e historiadores protestantes afirmaram que Pedro não teria ido a Roma, esta tese foi defendida mais proeminentemente por Ferdinand Christian Baur da Escola Tübingen. Outros, como Heinrich Dressel, em 1872, declararam que Pedro teria sido enterrado em Alexandria, no Egito ou em Antioquia.Hoje, porém os historiadores concordam que Pedro realmente viveu e morreu em Roma. O historiador luterano Adolf Harnack afirmou, que as teses anteriores foram tendenciosas e prejudicaram o estudo sobre a vida de São Pedro em Roma. Sua vida continua sendo objeto de investigação, mas o seu túmulo está localizado na Basílica de São Pedro no Vaticano, o qual foi descoberto em 1950 após anos de meticulosa investigação.
Que Oxalá nos abençoe sempre
Saravá .'.
 

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Defumações.


A defumação é essencial para qualquer trabalho num centro umbandista.
è também, uma das coisas que chamam a atenção de quem vai lá pela primeira vez assistir a um trabalho.

Imagem30


Ervas utilizadas:
ALECRIM Defesa dos males, tira inveja e olho gordo, protege de magias.
ARRUDADescarrego e defesa dos males, proteção e remove o efeito de feitiços.
BENJOIM e CANELA: Limpa o ambiente e destrói larvas astrais.
FOLHA DE BAMBU: Afasta os espíritos Obssessores.
GUINÉAtua como um poderoso escudo mágico contra malefícios.
INCENSO: são bons para limpeza em geral.
MIRRA: Descarrego forte, afasta maus espíritos.
PALHA DE ALHO: Afasta más vibrações.
ABRE CAMINHO: Abre o caminho atraindo bons fluidos dando força e liderança.
ALFAZEMA: Atrativo feminino, deixa o lar mais suave, limpa, purifica e traz o entendimento
ANIS ESTRELADO:Atrativo. Chama dinheiro.
CRAVO DA ÍNDIA: Atrativo e chama dinheiro e dá força á defumação.
EUCALIPTO: Atrai a corrente de Oxossi
LEVANTE:Abre os caminhos do ambiente
LOURO: Abre caminho, chama dinheiro, prosperidade e dá energia ao ambiente.
ROSA BRANCA:Paz e harmonia.
M ANJERICÃO:Chama dinheiro.
É recomendado, também fazer uma prece de defumação.

MODO DE FAZER

• acenda o carvão em brasas em recipiente próprio;
• feche todas as portas e janelas;
• coloque um copo com água pura na porta de entrada que deverá ficar semi-aberta;
• passe o defumador dos fundos para a frente da casa, abrindo um filete de água nos cômodos onde houver bicas;
• ao sair pela porta da frente, apague as brasas com a água do copo que lá estava, despachando os resíduos na natureza;

• feche as bicas que estavam abertas e abra todas as portas e janelas da casa.

A limpeza dos ambientes também poderá ser feita exclusivamente com fogo, procedendo-se da seguinte maneira:
• em cada cômodo coloque uma pequena bacia de metal com algodão embebido em álcool;
• feche todas as portas e janelas, abrindo um filete de água onde houver torneiras;
• na porta de entrada, que deverá ficar semi-aberta, coloque um copo com água pura;
• acenda cada algodão dos fundos para a frente da casa;
• terminado o fogo, apanhe o copo d'água que ficou na entrada e pingue um pouco de água em cada bacia na mesma ordem que acendeu, trazendo os resíduos com o copo de água;
• abra toda a casa e despache os resíduos do algodão queimado num ambiente da natureza.

Recomenda-se pelo menos uma vez por semana defumar nossa casa, com os seguintes defumadores:
• Comigo ninguém pode
• Abre caminho
• Chama da boa sorte
• limpeza Oxalá, e do seu Santo de cabeça, para proteger de todas as maldades.

Rezar o Pai Nosso sempre com um copo de água junto.
Os defumadores limpam e a água joga-se fora.
Defumadores prontos encontrados em casas de umbanda.

E mais uma infinidade que limpam, descarregam e purificam o ambiente.
Conheça alguns defumadores encontrado a venda nas lojas de artigos de Umbanda.
  Prece de Defumação.
Com esse defumador limpo minha casa , meu corpo físico e astral, para que fiquem puros e protegidos, contra os fluidos, interferências, ou influencia maligna que sobre eles não prevaleça à inveja, o ciúme,o mau olhado, o ódio ou qualquer outro malefício de pessoas más, que delas se afastem as entidades indesejáveis, espíritos maus ou obssessores, que pretendam me fazer mal.
Que nesta casa (ou neste comercio), entre a sorte e os meus caminhos sejam sempre abertos para a minha felicidade sob a proteção dos meus guias.
Feito isso você, pode oferecer, 1 pai-nosso, 1 Ave-maria, 1 Glória ao Pai, a Nossa Senhora do Desterro, pedindo a ela que desterre tudo que estiver de ruim na sua vida. Peça proteção.
Peça a Nossa senhora do desterro, Que ela possa te dar, Paz, saúde, Prosperidade, proteção pra sua família , abençoar o seu trabalho.
Para aqueles que não sabem ou não tem tempo de correr atrás de ervas, mas que ficaram interresadas em fazer uma defumação, ai vai uma dica, vá até uma casa de artigos religiosos, (casa de Umbanda), procure por defumação pronta, defumador 7 misturas sagradas Tia Maria. Ele queima sozinho dispensa o uso de brasas, aproveite a visita, providencie também um Sabão da costa, ele é composto de uma mistura de sete ervas, cinzas e banha, a exemplo da defumação pronta ele é excelente pra ser usado como banho de descarrego, o Sabão da Costa é usado da seguinte forma:
Após o seu banho normal, passe o sabão da Costa pelo corpo todo, menos na cabeça, se enxugai normalmente. Esse banho pode ser tomado antes ou depois da defumação, desta forma você limpado seu corpo sua casa, seus caminhos.
Você se sentirá mais leve, mais aliviado, com um sensação de bem estar, por que o objetivo do banho de "descarrego e da defumação" é despachar ( Mandar embora) as cargas pesadas, levar embora as tristezas,o nervosismo, o baixo astral, afastar as perturbações.
experimente você também e sinta os efeitos beneficos no seu dia-a-dia.
Pontos de Defumação.


Defuma com as ervas da Jurema
Defuma com arruda e guiné
Benjoim, alecrim e alfazema
Vamos defumar filhos de fé
2
Defuma, defuma
Defuma, defuma, defuma
São Jorge defuma
Seus filhos de fé
3
Corre gira Pai Ogum
Filhos quer se defumar
Umbanda tem fundamento
É preciso preparar
Com arruda e guiné,
Alecrim e alfazema
Defumar filhos de fé
Com as ervas da Jurema
4
Corre ronda no gonguê
Corre ronda no gongá
Ai quem não pode com a mandinga
Não carrega patuá
5
Pinto piou na calunga
Galo cantou, lá em Angola
Congo que vem lá de Carangola
Trazendo mussanga na sua sacola
Congo que vem lá de Carangola
Tocando inimigo de porta pra fora
Se o rei da mata é Oxóssi
E na pedreira é Xangô
Foi, foi Ogum quem mandou
Queimar folhas da jurema
P’ra fazer defumador
6
Tô defumando a nossa Umbanda
Umbanda cheirou a guiné
Mas eu defumo é com Jesus
Com Maria e José
7
Meu Pai Oxossi
Dá licença pra defumar
Meu Pai Oxossi
Dá licença pra defumar,
Eu defumo, eu defumo
Essa aldeia real
8
“Taca” fogo nestas ervas
Que são ervas de Xangô
Tem arruda tem guine
Tem obi tem orobô
Quem quiser se defumar
Vai pedir ao Pai Xangô
Tem arruda tem guine
Tem obi tem orobo
9
Filhos de Umbanda
Vem ver os irmãos seus
Defuma defuma
Na santa lei de Deus
10
Defuma coroa de lei
Defuma coroa de lei
Meu rei é quem manda só
Ai ai ai
Meu rei é quem manda só
Ai ai ai

ELA FAZ o que ninguém consegue fazer !!!!


Arreda homem que aí vem Mulher…
Arreda homem que aí vem Mulher…
Esse pequeno trecho do ponto que tão comumente cantamos em nossos terreiros é um dos mais significativos e expressivos quando penso em Pombagira.
Todos nós já ouvimos e lemos muitos textos sobre Exu e suas qualidades tão ativas e duais, no entanto, pouco falamos de Pombagira e pior, quase sempre quando ouvimos falar dessas Entidades de Luz  a referência é com a prostituição, desejo, sexo, amarração, separação ou ainda, com a desgraça emocional e familiar.
Penso que seria muito interessante e importante para todos nós se, quando pensássemos em Pombagira, pensássemos no arquétipo Mulher, afinal, além dela ser pura expressão do feminino ela também atua e ativa a pura essência do feminino, seja nos homens ou nas mulheres.
Falando sobre o arquétipo Mulher, que é fundamental em todas as religiões historicamente firmadas, entende-se por arquétipos as tendências estruturais invisíveis dos símbolos e que criam imagens especificas. Já o sentido “Mulher” refere-se ao principio feminino que está ligado a sensibilidade, a criatividade, a lua, ao ciclo, a capacidade de viver o tempo com ritmo diferente, de receber, de acolher, de enfeitar, de proteger, de lutar pelo bem amado e a capacidade de se transformar em onça, leoa e materna. Esse princípio ainda estimula nos seres humanos o lado espiritual e a busca pelo encontro do sentido religioso, fato constatado quando percebemos a quantidade de mulheres nas instituições religiosas. Além disso, não podemos deixar de refletir sobre o contexto de liberdade, de comunidade e de força de expressão que os espaços religiosos permitem. Nesse sentido Nancy Cardoso Pereira em seu livro: Malditas, Gozosas e Devotas – Mulher e Religião (1996), afirma: “É no campo das expressões religiosas que as mulheres encontram espaços para a resistência e sobrevivência”.
Com essa linha de raciocínio conseguiremos afirmar o quanto as Pombagiras são importantes e fundamentais para nós e para a própria estrutura da Umbanda.
Elas mexem com nossas emoções, elas geram em nós todos esses princípios femininos  e ainda quebram o paradigma patriarcal instituído em nossa sociedade por alguns povos e religiões milenares como o judaísmo e o catolicismo.
O medo, o desconforto, a maledicência sobre as Pombagiras deve-se pelo fato de elas atuarem nas partes ocultas e nas questões oprimidas da mulher, a exemplo, temos o desejo que ainda é um grande tabu para a maioria das pessoas, principalmente para os homens e para os mais tradicionalistas. Para muitos, “Ter Desejo” é proibido e o fato é que as Pombagiras moram na casa dos desejos, entenda desejo tudo aquilo que realmente desejamos.
Elas estão ligadas ao belo, ao que seduz e àquela que se apaixona, ao mesmo tempo remete ao que se deve ser evitado.
A própria figura da Pombagira assume toda a sensualidade subversiva e agressiva da sexualidade feminina, em contraste com a ideia do feminino passivo e submisso tão enfatizado por algumas tradições, fato refletido nas suas imagens, onde na maioria das vezes são representadas por mulheres seminuas enquanto as imagens das santas católicas estão sempre bem cobertas (vestidas) e com semblante amenizador.
É referência como propiciadora de abertura de caminhos, da renovação, da vida e da liberdade. E na sua condição de libertina, ou de quem é livre para ir e vir, fala o que pensa e o que quer, ela se comanda.
É estímulo, alegria, beleza, poder e movimento, o qual alimenta seu ‘cavalo’ e seus adoradores.
Manifestam-se tanto na lavadeira como na advogada – condições sociais para Elas não é importante; manifestam-se em mulheres fora dos padrões de beleza ditados pela sociedade e ainda assim exercem sobre os homens um estimulante fascínio e sobre as mulheres a auto-estima; manifestam-se nos Terreiros e rompem com quaisquer diferenças, pois são “apenas” Pombagiras.
A Pombagira está relacionada a tudo que é feminino, adora jóias, perfumes, batom, ouro, rosas, principalmente as vermelhas por ser a cor da paixão, do calor, do fogo. Gosta de cigarrilha e champanhe, pois traduz estímulo e alegria.
Como princípio feminino é considerada por muitos um “EXU FEMININO”, mesmo porque na África, local de origem dos Orixás, na tradição banto, o nome Exu é Bongbogirá, o que nos leva a deduzir que o termo pombagira é uma corruptela de Bongbogirá. E como princípio feminino atua de forma muito diferente do princípio masculino Exu.
Ela mexe com aquilo que Exu não consegue mexer.
Ela transforma aquilo que o vigor masculino de Exu não modifica.
Ela cria aquilo que o mando de Exu não consegue estabelecer.
Ela fala aquilo que Exu não consegue dizer.
Ela dá aquilo que todos querem, mas que ninguém é dono.
Ela faz sorrir de uma forma que homem nenhum entende.
Ela faz viver aquela mulher que toda mulher quer ser e que todo o homem quer ter.

Ela é POMBAGIRA e é melhor arredar o pé, homem,

pois aí VEM MULHER…



quarta-feira, 13 de junho de 2012

SALVE SANTO ANTONIO !!!!!

Falar de Santo Antonio na Umbanda, não é tarefa fácil, ainda mais de Santo Antonio de Pemba , de Lisboa, de Ouro fino, de Pádua. Mas seja lá qual for o Santo Antonio, Uma coisa é certa, Zé Pelintra trabalha muito com ele,e é o Santo em que Zé Pelintra deposita seus pedidos.
 De casamenteiro à Guerreiro, Santo Antonio às vezes é confundido com Ogum. Temos consciência que Ogum é Ogum, e Santo Antonio é Santo Antonio. Antonio, que largou tudo pelo sacerdócio da caridade e luta justa pelos valores dos humanos, seja o padre, ou o padeiro, o padre que alimentava seus fiéis pela palavra de Deus ou o padeiro que matava a fome dos pobrezinhos da aldeia de Pádua.
Antonio, que quando vivo já era um Santo para o povo, após sua passagem se transforma em Santo Antonio Milagreiro. Zé Pelintra, em tudo que faz, homenageia Santo Antonio, inclusive, no dia 13 de junho, benze os pães de Santo Antonio, distribuindo-os aos filhos de fé, para colocarem no açúcar, e durante um ano inteiro, o pão permanece sem estragar. Isto para que não falte a fartura .
 Santo Antonio de Pemba, na Umbanda, que é o Patrono de Exú, que rege as legiões desses espíritos guerreiros e mensageiros dos Anjos Superiores (orixás), que preside as batalhas navais e terrestres.
 Santo Antonio que protege as pessoas dos espíritos malignos e que traz o que estava perdido. Zé pelintra do Catimbó, ora muito a Santo Antonio.
 Em uma das suas cantigas, pergunta-se: - Zé Pelintra, cadê Santo Antonio; Estava rezando e fazendo oração; Santo Antonio que gira e retira que quebra as demandas de toda a nação. e assim, Zé Pelintra, invoca ao Santo, trazendo sua força, inspiração e proteção à Umbanda e aos seus filhos de fé. SALVE SANTO ANTONIO.

HISTÓRIA

Santo Antônio de Lisboa ou de Pádua (nasceu na capital portuguesa; passou seus últimos dias na cidade italiana), chamava-se Fernando, antes de ingressar na Ordem dos Franciscanos, em Coimbra.

Por conta da doutrina adquirida e propagada como frade menor, é o santo defensor dos pobres. Também era evocado para achar coisas perdidas, tal como São Longuinho. No dia que lhe é consagrado, 13 de Junho, distribui-se o pãozinho que deve ser guardado numa lata de mantimentos, como 'amuleto' de garantia que não falte comida durante o ano. Os lírios brancos que acompanham sua imagem indicam a pureza e os sentimentos nobres.

A escolha de Santo Antônio como padroeiro dos namorados deve-se a uma narrativa sobre o santo português; este durante o tempo em que esteve em França, dirigiu-se a um povoado onde casar era considerado um pecado. No local, o santo pregou sobre a importância da formação das famílias, vindo daí tradição que o tornou popular como santo casamenteiro.

Aqui no Brasil, institui-se 12 de Junho como dia (comercial) dos enamorados em 1949, quando o técnico de publicidade João Dória - trabalhando para a Agência Standard Propaganda - encetou uma campanha para melhorar as vendas da extinta loja Clipper no decorrer de Junho - um mês bastante fraco para o comércio - lançando o slogan "Não é só de beijos que se prova o amor". O êxito foi imediato, tendo a Standard ganho o título de agência do ano. A idéia estava lançada, com o apoio da Confederação de Comércio de São Paulo e o júbilo de todos os comerciantes.

UMBANDA – SINCRETISMO: OGUM x EXU

Na tradição católica, de acordo com historiadores, Santo Antônio foi assentado como praça da Infantaria portuguesa por ter intercedido no ‘milagre’ da vitória sobre as forças espanholas e francesas, chegando à patente de Tenente-Coronel.

No Brasil, ‘auxiliou’ nas lutas contra o Quilombo dos Palmares (pela Capitania de Pernambuco) e a esquadra de corsários franceses de Duclerc (na Capitania do Rio de Janeiro), ficando no posto de Tenente-Coronel até a Proclamação da República, quando teve seu soldo abolido pelo Marechal Hermes da Fonseca.

Sendo identificado como padroeiro de incursões militares e batalhas, o santo frade acabou sincretizado com o orixá Ogum na Bahia, por exemplo
.

À época da escravidão, os negros eram forçados a abjurar suas crenças por imposição da Igreja Católica Apostólica Romana, sendo também obrigados a adotarem para si nomes de santos, como Antônio, Benedito, José, João, Pedro etc. Na Umbanda, Santo Antônio é visto como um padrinho destes espíritos de escravos africanos, os pretos velhos, nomeando entidades desta falange.

Pode-se conjecturar uma ligação (mas não o sincretismo) de Santo Antônio com Exu porque o matrimônio sela um compromisso de continuidade dos homens (pela família). Exu é o movimento, a dinâmica da vida, promovendo a interação entre Criador e criaturas (comunicação) e a perpetuação dos seres (reprodução). O símbolo deste Orixá é o falo - órgão sexual masculino -, representando a fertilidade. Suas características controversas – provocador, brincalhão, astuto, sensual – o associaram à figura bíblica de Satanás. Por ferir a moral cristã, a Umbanda não o aculturou como divindade; cultua apenas espíritos homônimos de características análogas – os exus e pombogiras, devoltando-lhes homenagens em dia 13/6. Para os yorubá, etnia da qual herdamos a cultura dos Orixás, não existe conceito de pecado, nem divindade que seja a antítese de Deus (para eles, Olodumare).
http://gufec.blogspot.com/2007/06/santo-antnio.html

Obras Básicas - Pentateuco do Espiritismo

O Livro dos Espíritos - Contendo os princípios da Doutrina Espírita sobre a imortalidade da alma, a natureza dos Espíritos e suas relações com os homens, as leis morais, a vida presente, a vida futura e o porvir da humanidade – segundo o ensinamento dos Espíritos superiores, através de diversos médiuns, recebidos e ordenados por Allan Kardec. O Livro dos Médiuns - Contendo os ensinamentos dos Espíritos sobre a teoria de todos os gêneros de manifestações, os meios de comunicação com o Mundo Invisível, o desenvolvimento da mediunidade, as dificuldades e os escolhos que se podem encontrar na prática do Espiritismo. Em continuação de "O Livro dos Espíritos" por Allan Kardec. O Evangelho segundo o Espiritismo - Com a explicação das máximas morais do Cristo em concordância com o Espiritismo e suas aplicações às diversas circunstâncias da vida por Allan Kardec. Fé inabalável só é a que pode encarar a razão, em todas as épocas da Humanidade. Fé raciocinada é o caminho para se entender e vivenciar o Cristo. O Céu e o Inferno - Exame comparado das doutrinas sobre a passagem da vida corporal à vida espiritual, sobre as penalidades e recompensas futuras, sobre os anjos e demônios, sobre as penas, etc., seguido de numerosos exemplos acerca da situação real da alma durante e depois da morte por Allan Kardec. "Por mim mesmo juro - disse o Senhor Deus - que não quero a morte do ímpio, senão que ele se converta, que deixe o mau caminho e que viva". (EZEQUIEL, 33:11). A Gênese - Os milagres e a predições segundo o Espiritismo por Allan Kardec. Na Doutrina Espírita há resultado do ensino coletivo e concordante dos Espíritos. A Ciência é chamada a constituir a Gênese de acordo com as leis da Natureza. Deus prova a sua grandeza e seu poder pela imutabilidade das suas leis e não pela ab-rogação delas. Para Deus, o passado e o futuro são o presente.
Clique na Imagem e Leia o Livro.